Coques - Estilo e praticidade

No dia a dia de toda mulher, o coque é um aliado e tanto para os momentos de calor, trabalho e falta de tempo. Sorte a nossa que ele está mais na moda do que nunca.
Hoje o coque deixou de ser apenas um emaranhado no topo da cabeça e passou a ser visto como algo despojado, estiloso e, em alguns casos, até chique. Não me refiro, é claro, aos penteados de festas como casamentos, e sim ao nosso cotidiano.
E os coques já tem nome e subcategorias (haha). Hoje, vamos falar de três modelos.

HalfBun
O mais famoso e também mais fácil de fazer. Nada mais é que um coque com os fios semipresos. É bem bagunçadinho e despretensioso. Perfeito para aqueles dias de badhairday. A dica é ter os cabelos sempre bem hidratados e um spray de brilho a mão para qualquer tipo de penteado. Provavelmente, você já usa o halfbun, mas agora sabe que ele pode ir além das faxinas em casa.



Coque Duplo
O que mais gosto. Tudo começou com as Spices Girls nos anos 90, e nos anos 2000 foi parar nas cabeças das divas pop. E, de um tempo para cá, voltou com força desde que MileyCyrus e a Ariane Grande apareceram usando. É estiloso, mas também pode ser fofo. Tudo depende do acessório que você adiciona ou não. Para as mais ousadas, vale aplicar mechas de cabelo colorido aos coquinhos, pois mescladas com a cor do cabelo natural dá um resultado incrível. Já o acabamento com trancinhas finas ajuda a compor o estilo fofa. Tudo depende do seu estilo.



Coque Donut \ Rosca
Adequado para qualquer ocasião e totalmente atemporal. Vai bem com o jeans do dia a dia, com um evento mais requintado ou até mesmo para uma reunião de trabalho. Fácil de ser visto nos red carpets da vida. Qualquer um consegue fazer, e é altamente estilizável, se transforma com detalhes como uma trança, um lenço, fios soltos, fios alinhados, laços... Você manda. Só é necessária a rosca de espuma ,super baratinha e fácil de achar, ou mesmo uma meia cortada e enrolada para dar o formato perfeito.



Que tal? Todos simples!
Muitas vezes culpamos a falta de tempo por não sair tão arrumadas quanto gostaríamos. Vamos mudar isso e começar pelos cabelos? Mudar faz bem, e a mudança começa nos detalhes.
Espero que tenham gostado.


Beijos

Minha experiência: Micropigmentação das sobrancelhas fio a fio

Ahhhh, as mulheres! Eternamente insatisfeitas com seu corpo. Uma manchinha na pele aqui, um centímetro a mais ou a menos ali. Eu não sou diferente até queria, buuut.
Esse ano eu resolvi que investiria em alguns procedimentos para me sentir mais feliz com o espelho. E um deles eu vou mostrar hoje para vocês neste post. Trata-se da micropigmentação fio a fio das minhas sobrancelhas.
Eu estava muito ansiosa para escrever sobre isso aqui no blog. E já adianto que estou apaixonada pelos resultados. Continue lendo que vai ter antes e depois (todas amam)!

Antes de mais nada eu preciso dizer que, ir lá e realizar o procedimento foi algo muito bem pensado e planejado. Eu sempre procuro conhecer a fundo todas as técnicas, prós e contras que qualquer procedimento tenha. Só aí avalio se vai atender minhas expectativas e se é adequado para o meu caso. Pois cada caso é um caso, sempre!

Então vamos aos motivos que me levaram a isso. Simples: Por muitos anos minhas sobrancelhas passaram pelas mãos de diversas profissionais (algumas não tão boas, preciso dizer), mas  o fato é que nunca encontrei A PROFISSIONAL, que me fizesse despencar de qualquer lugar para ir até ela só para ser atendida. E fui levando a vida assim completamente dependente do, já conhecido por muitas, lápis de sobrancelhas.
De 1 ano pra cá, isso começou a me incomodar bastante. Pois, como maquiadora, eu sei a importância de uma sobrancelha bem desenhada, sei o quanto isso muda todo um rosto e o quanto melhora a expressão. Assim como os cabelos, as sobrancelhas também funcionam como uma espécie de moldura da face.

Nas fotos de antes e depois vocês poderão ter uma ideia, mas essas fotos são da minha sobrancelha como era, delineada com lápis. Usei assim durante anos.



Eu já conhecia a micropigmentação, mas eu tinha a  ideia de que resultasse em algo totalmente artificial. Porém descobri que isso vai muito da técnica e dos produtos que a profissional aplica. E para minha surpresa encontrei a pessoa perfeita, aquela a quem eu entregaria com toda a confiança o meu rosto para a micropigmentação, com a certeza de um resultado natural e do jeitinho que eu queria.

Até encontrá-la eu pesquisei, mas pesquisei muito. No instagram principalmente (o insta é uma bela ferramenta pra mim nesse sentindo). Procurei por Volta Redonda, que é minha cidade, pois estou sempre por lá, então serviria super. Procurei pelo Rio de Janeiro inteiro... e confesso em forma de música que "Demorei muito pra te encontrar, agora quero só você."

Marquei, fui e vi a mágica acontecer. Sim, parece mágica, porque são mãos de fada.

Dá uma conferida no meu antes, durante e depois.


Super natural, né? Não utilizo mais NADA!
A responsável por esse resultado incrível foi a Lumakeupbr. Curioso que nas vésperas de eu ir realizar o procedimento a Lu saiu em uma matéria na revista Glamour. Ou seja, eu iria até lá de qualquer jeito pois compro essa revista todo mês. Inclusive a Lu é a responsável pelas sobrancelhas de várias famosas como a Gabriela Pugliese, Ana Hickmann, Lala Rudge, e, no dia que fui, a Grazi Massafera estava lá também. Bicha lacradora, viu?!

Agora a pergunta que não quer calar: E a dor?
Não  vou mentir, rola uma dorzinha sim. É suportável, mas doeu mais do que eu imaginei. Acredito que pessoas mais sensíveis na área dos olhos ou que já sofrem muito com pinça, sentiriam ainda mais dor do que eu senti. Achei mais dolorido que minha tatuagem no pulso.
A micropigmentação é como se fosse uma tatuagem (mas é menos invasiva),  é feita com uma lâmina bem fininha, onde a profissional faz micro cortes superficiais na pele e aplica o pigmento. É utilizada pomada anestésica, mas o efeito é fraco. Para usar algo mais potente que isso só com seu médico autorizando e manipulando uma pomada especialmente para você.
Porém, no meu caso, não foi demorado. Achei rápido até. Saí de lá feliz da vida.
Nos primeiro dias, a sobrancelha fica  mais escura mesmo, e depois vai cicatrizando e ficando mais natural.
Estou muito apaixonada pelo resultado, é tão natural que ninguém percebe o que você fez no rosto. Você só fica mais bonita, tipo do nada! (hahaha adoro!)

Eu indico a técnica pra quem tem falhas nos pelos, ou cicatriz, pouco pelo. Se você tem sobrancelhas assimétricas ou se já ferraram com elas pela vida afora, como foi comigo, também é uma boa dica.  E, na boa, se simplesmente você não está satisfeita com elas, também vale fazer.

Eu espero que tenha ajudado e que vocês tenham gostado.
Qualquer pergunta é só lançar aqui embaixo nos comentários, que eu respondo todas! Ok?

Beeijos
E até a próxima!